ORIGEM

 

___Este seminário Redemptoris Mater foi largamente desejado pela Equipe Itinerante Responsável pelo Caminho Neocatecumenal e pelas comunidades neocatecumenais da Arquidiocese de São Paulo.

___A primeira proposta foi apresentada à S. Emcia. Card. Claudio Hummes quando ainda era Arcebispo de São Paulo (25 de março de 2006). Foi apresentado um pequeno dossiê formalizando a petição do Seminário. A petição foi bem aceita e aprovada pelo Conselho Episcopal. Nesse ínterim D. Claudio foi chamado a Roma para assumir como Prefeito da Congregação do Clero. Consequentemente tudo ficou parado.

___D. Odilo Pedro Scherer assume como novo Arcebispo de São Paulo.

Nos dois primeiros anos de ministério episcopal D. Odilo foi conhecendo o Caminho Neocatecumenal através de diversas audiências concedidas à Equipe Responsável pelo Caminho Neocatecumenal no Brasil e também na Arquidiocese.

No 1º de maio de 2007 foi apresentado ao Sr. Arcebispo o Caminho Neocatecumenal com a presença de 1200 irmãos da Arquidiocese de São Paulo. Acompanhava-o D. Pedro Luiz Stringhini, então bispo auxiliar da região Belém. D. Odilo, impressionado, confirmou nosso itinerário de fé.

___Na Solenidade de Pentecostes de 2008 foram aprovados definitivamente pela Sta. Sé os Estatutos do Caminho Neocatecumenal. D. Odilo inteira-se desta aprovação aceitando com decisão o consentimento de Roma. Posteriormente preside a Eucaristia de Solene Ação de Graças pela Aprovação do Estatuto, celebrada na Catedral da Sé.

___Numa reestruturação pastoral importante da Arquidiocese o Sr. Cardeal assumiu o Caminho Neocatecumenal como uma responsabilidade direta dele, decisão que lembrava o zelo que os Padres da Igreja, especialmente no momento de esplendor do Sec. IV, tinham no acompanhamento do Catecumenato.

___Na semana in Albis de 6 a 12 de abril de 2010 D. Odilo participa da Convivência Internacional de Bispos convocada pelos Iniciadores do Caminho Neocatecumenal, celebrada na “Domus Galilaeae” em Israel. Nesta convivência os bispos tiveram a oportunidade de conhecer e participar da fonte que deu origem ao Caminho Neocatecumenal.

Ali D. Joseph Leonard, Arcebispo de Bruxelas na Bélgica, pede um Redemptoris Mater para a sua nova Arquidiocese.

D. Odilo pergunta à Equipe Responsável do Caminho Neocatecumenal no Brasil se tinham solicitado algo assim para São Paulo. Os catequistas recordaram ao Cardeal a antiga proposta feita e bem-aceita ao anterior Arcebispo D. Claudio Hummes, e sua posterior paralisação por sua remoção a Roma.

D. Odilo muito se interessou e juntamente com D. Joaquim J. Carrera, na época bispo auxiliar da região Santana da Arquidiocese de São Paulo irá confirmando tudo.

D. Odilo lê no voo de volta para São Paulo os Estatutos e a Regra de Vida de um Seminário Redemptoris Mater e confirma mais especificamente com o Responsável da Equipe Itinerante no Brasil, Pe. José Folqué seu interesse e aprovação. Tudo se encaminha velozmente.

___Em São Paulo o Sr. Cardeal apresenta a proposta do Seminário ao Colégio Episcopal.

Os bispos estiveram de acordo, aderindo ao projeto. Posteriormente o Colégio de Consultores também aceitou.

D. Odilo pessoalmente redige a Carta de Petição formal do Seminário entregue à Equipe Itinerante Responsável pelo Brasil aos 19 de junho de 2010. No dia 28 de junho a noticia vem publicada a todos os irmãos do Brasil. Havia sido aprovado, pela Arquidiocese de São Paulo o nascimento do novo Seminário Missionário Arquidiocesano Internacional Redemptoris Mater. Noticia acolhida com grande alegria.

___Em 12 de setembro de 2010, no contexto de uma Convivência Internacional de Reitores dos Seminários Redemptoris Mater – na cidade de Porto S. Giorgio, na Itália – vem apresentado oficialmente a Carta de Petição do Novo Seminário, aos Iniciadores do Caminho Neocatecumenal, Sr. Kiko Argüello, Carmen Hernandez e ao Pe. Mario Pezzi.

___Entre a Convivência de Reitores e a de Pré-Seminaristas daquele ano, Pe. José Folqué e Raul Vianna vão a Turim para – em oração – depositar aos pés do túmulo de Dom Bosco a fundação do Novo Seminário Redemptoris Mater. Pediram sua intercessão para que este nascimento se efetivasse.

___15 de setembro de 2010: Aprovação formal da fundação do Novo Seminário por parte dos Iniciadores do Caminho, a Assembleia ali composta por Itinerantes e Reitores acolheu a noticia com aplauso efusivo e unânime.

___No dia 18 de setembro de 2010 – Festa de Nossa Senhora das Dores – nasce o Seminário Redemptoris Mater de São Paulo; no contexto da Convivência de Pré-Seminaristas (16 – 19 set 2010) que se celebra todos os anos após à Convivência de Reitores em Porto S. Giorgio.

Na mesma Convivência (17 set) foi indicado o novo Reitor do Seminário, nomeação que recai na pessoa de Pe. José Francisco Vitta – Pe. Kico, presbítero brasileiro incardinado em Roma e até então itinerante no Brasil.

___No sábado 18 de setembro, pela tarde, na solene “Merkabá” forma-se o primeiro núcleo de seminaristas, compostos de:

2 brasileiros:                Tulio Felipe de Paiva

                                    Belchior Tobias de Novais Moreira

1 salvadorenho:          Melvin Arévalo Echeverría

1 hondurenho:            Thiago Moreira Pedrosa Gonçalves

1 colombiano:             José David Ramírez Velásquez

1 espanhol:                  Ignacio Torres Julián

2 italianos:                  Nicolò Stauble

                                    Samuel Belli

___No domingo 19 de setembro recebemos durante a Solene Eucaristia de encerramento da Convivência de Pré-Seminaristas como Padroeiros do Seminário as relíquias ex ossibus de São João Bosco, pai e mestre da juventude e de São Raimundo de Peñafort, santo dominicano padroeiro dos Advogados e Mestre do Direito Canônico. Estas relíquias recebidas vinham confirmar que a visita à Turim pedindo a intercessão do Santo, havia sido atendida.

            Presente na Assembleia e representando o Sr. Cardeal Arcebispo de São Paulo encontrava-se D. Edmar Perón, bispo auxiliar da região Belém.